Como é feito o tratamento de reposição hormonal e por quanto tempo ele é indicado?

Mito ou Verdade? A sexualidade também é afetada pela incontinência urinária
16 de abril de 2020

Com a chegada da menopausa, o corpo da mulher passa a produzir menos estrogênio e progesterona. Para aquelas que sentem os sintomas desagradáveis em níveis moderado e intenso, a reposição hormonal é indicada, principalmente para sintomas vasomotores como o calorão. ⠀

Existem várias formas de fazer a reposição hormonal. O primeiro passo é entender como seu organismo funciona e saber qual ou quais hormônios serão contemplados: só estrogênio, só progesterona ou uma combinação de mais hormônios. O segundo passo é pesar os os riscos e benefícios de cada método. Terceiro avaliar quanto tempo do início dos sintomas e tipos de sintomas. Por fim, se a paciente tem útero ou não, pode mudar a necessidade de adicionar mais de um tipo de hormônio.⠀

➡Os métodos mais comuns para a reposição hormonal são:⠀

• Injetável: injeções mensais ou trimestrais. ⠀
• Comprimidos: a maior parte deles são feitos à base de estrogênio sintético e usados diariamente.⠀
• Adesivo e gel: são aplicados diretamente na pele com a periodicidade indicada pelo médico.⠀
• Cápsulas vaginais: libera menos hormônios no organismo em geral, porque atua localmente.⠀

O prazo para o tratamento varia de acordo com a necessidade de cada paciente e, por isso, é importante o acompanhamento periódico e avaliação do ginecologista.⠀

Dra Priscila K. Matsuoka | Ginecologia e Obstetrícia |⠀⠀ CRM 133872⠀⠀

Sem conflitos de interesse a declarar⠀⠀ ⠀

Endereço: ➡Rua José Antônio Coelho 801- Térreo⠀⠀ Vila Mariana- Telefone: (11) 5579-9090 | (11) 9.98021564⠀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp Agende pelo Whatsapp!
//]]>